“Ex” Tarifários – Renovação do Regime para produtos que perderão o benefício no final de 2021

A redução da alíquota do imposto de importação para produtos que são grafados na TEC-NCM como “Bens de Capital” (BK) ou “Bens de Informática e Telecomunicações” (BIT), e que não possuem similar fabricado no país, é concedida através do regime chamado de “Ex” Tarifário.

 

A concessão do regime teve uma atualização de ritos e critérios, a partir da publicação das Portarias do Ministério da Economia nº 309, de 24 de junho de 2019, e nº 324, de 29 de agosto de 2019. Entretanto, os fundamentos básicos de concessão permanecem inalterados ao longo do tempo: o produto deve se enquadrar em um código BK ou BIT da NCM e deve passar por uma análise de fabricação nacional, para que a inexistência seja comprovada.

 

No momento que um benefício é concedido para determinado produto, através de uma Resolução CAMEX, a vigência desse benefício também é determinada no mesmo instrumento legal e, normalmente, o prazo é próximo de 24 meses a partir da data de publicação em Diário Oficial.

 

A partir de meados de 2020, porém, todos os benefícios publicados estão com uma data fixa de vigência: 31 de dezembro de 2021. Com isso, benefícios que foram obtidos recentemente, podem contar apenas com um prazo muito curto de validade, prejudicando o planejamento de longo prazo para o importador.

 

Tal comportamento das autoridades responsáveis pelas concessões dos benefícios deve-se ao fato de que o regime de “Ex” tarifário decorre de um acordo expresso entre os países que compõem o grupo MERCOSUL, que permitem ao Brasil estabelecer um tratamento diferenciado para Bens de Capital e Bens de Informática e Telecomunicações.

 

O último acordo celebrado, nesse contexto, trata-se do MERCOSUR/CMC/DEC. Nº 25/15, do Conselho do Mercado Comum, assinado em 16 de julho de 2015 e determinando, nos artigos 3º e 6º, que:

Art. 3º – Os Estados Partes poderão, de 1º de julho de 2015 até 31 de dezembro de 2021, em caráter excepcional e transitório, manter  os regimes nacionais vigentes para a importação de bens e capital.

Art. 6º – Argentina e Brasil poderão aplicar, até 31 de dezembro de 2021, alíquota destintas da Tarifa Externa Comum, inclusive 0% para os bens de informática e telecomunicações, bem como os sistemas integrados que os contenham.

Ou seja, o tratamento diferenciado para BK e BIT, permitido ao Brasil, está permitido apenas até a data de 31 de dezembro de 2021.

 

Para que o Brasil possa estender os benefícios de redução de alíquota do imposto de importação além dessa data, deve haver uma renovação do referido acordo entre os membros do MERCOSUL.

 

A mesma situação já aconteceu anteriormente:

 

  • Em 2010, através do MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 57/10, assinado em. 16 de dezembro de 2010. Renovando o anterior que tinha vigência até 31 de dezembro de 2010.
  • Em 2014, através do MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 35/14, assinado em. 16 de dezembro de 2014. Renovando o anterior que tinha vigência até 31 de dezembro de 2014.
  • Em 2015, através do MERCOSUR/CMC/DEC. Nº 25/15, assinado em. 16 de julho de 2015. Renovando o anterior que tinha vigência até 30 de junho de 2015.

 

Ressaltando-se que relaciono acima apenas os três últimos eventos sobre o tema e também o fato de que as renovações foram, repetidamente, efetivadas poucos dias antes (e também após, no último caso), do prazo estabelecido no acordo anterior.

 

A situação atual é, portanto, que o prazo estabelecido no acordo Nº 25/15 é 31 de dezembro de 2021 e necessitamos da assinatura de um novo acordo para a prorrogação do regime.

 

Diante da incerteza sobre a renovação do regime (considerando, porém, que a tendência é bastante forte de que o regime seja renovado, visto que trata-se de um importantíssimo mecanismo de incentivo ao desenvolvimento tecnológico do país), e da forma como a DIVEX (Divisão de Ex-tarifário) irá proceder em relação às renovações, a RGC Engenharia recomenda às empresas que, havendo interesse em renovação de benefícios vigentes, efetuem o protocolo do pedido de renovação, atendendo a todos os requisitos formais.

 

A partir de 4 de julho já é possível o protocolo de pedidos de renovação, conforme previsão legal. A. tramitação desses processos deverá seguir normalmente, exceto pela conclusão que dependerá do sucesso na renovação do acordo com o Mercosul acerca da tratativa diferenciada para produtos BK e BIT.

Ainda ficou alguma dúvida?

Entre em contato conosco